Ivinhema - MS, terça-feira, 19 de junho de 2018

10º min
26º min



Publicado em: 13/03/2018 às 16h41

Necropsia do corpo de Vitor foi realizada em Nova Andradina

Em exame não constou perfuração no corpo


Jornal da Nova

Foto: Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova

O exame cadavérico, que é um procedimento médico que consiste em examinar um cadáver para determinar a causa e modo de morte, foi realizado no IML (Instituto Médico Legal) de Nova Andradina.

 

Conforme apuração a reportagem, o corpo de Vitor Figueiredo Rodrigues Peixin de 10 anos, não apresentou perfuração ou quebra de ossos, como pescoço e cabeça. Quanto a asfixia mecânica não tem como o médico legista afirmar se houve, mesmo caso para abuso sexual devido ao estado avançado do corpo. A reportagem tentou contato com médico legista, Dr. Omar Miguel, mas não atendeu as ligações.

 

Investigadores da SIG (Seção de Investigações Gerais) da Delegacia de Polícia Civil investigam o caso desde o dia em que o boletim de ocorrência foi registrado. O garoto desapareceu segundo ocorrência policial, às 8h de domingo (11), após sair de casa usando um shorts xadrez na cor marrom e chinelos cinza.

 

Na tarde de domingo, após registro policial, equipe da SIG saiu em diligências para investigar o sumiço do menino. Realizou várias buscas e ouviu várias pessoas e até uma mulher que teria visto o garoto naquele horário passando por ela na mesma rua, mas não viu nada anormal.

A Polícia Civil investiga toda a ação em volta do local onde o corpo foi encontrado e colheu várias evidências que possam contribuir com as investigações.  

 

Um jovem de 17 anos, foi levado para Delegacia para prestar esclarecimentos. Ele já vizinho da família de Vitor e a princípio negou envolvimento no crime.

 

O corpo do garoto segundo a Pax Funerária, já foi sepultado no Cemitério Santa Barbará.