Bruninho admite tensão por pressão pelo ouro: 'As pessoas esperam muito da gente'

Levantador afirma que grupo aprende a lidar com cobranças para manter Brasil no topo


PUBLICIDADE

GLOBO ESPORTE

Bruninho comemora em vitória contra a Argentina — Foto: Julio Cesar Guimarães/COB
PUBLICIDADE

Com o costume de se manter no topo, vem a pressão. Após a dramática vitória contra a Argentina, Bruninho admitiu que existe o peso da responsabilidade de levar o Brasil mais uma vez ao alto do pódio olímpico. O levantador, capitão da seleção, afirma que o time precisa aprender a lidar com a exigência em torno do grupo.


  • Talvez tenha lance de responsabilidade, uma certa tensão. Não é fácil aquilo que a gente vive há tantos anos de ser sempre um dos favoritos. As pessoas esperam muito da gente. A gente tem até uma brincadeira. Quando saímos do Brasil, tinha a hashtag. Ninguém pedia uma medalha. Era só #trazoouro. A gente vive com isso.
  •  
  • A gente precisa saber lidar. Somos humanos, temos nossos momentos de insegurança, de dificuldades. Mas a vitória contra a Argentina foi uma prova de que precisamos jogar sempre com agressividade e intensidade.

O levantador acredita que o time aprendeu a lidar com a pressão em momentos mais complicados, como na vitória contra a Argentina. Para Bruninho, o grupo mostrou, mais uma vez, que precisa de intensidade para jogar o que sabe.


  • O time me deixou orgulhoso. São 12 jogadores, não são só os titulares. Demonstração de força. Essa partida parecia um filme. Uma vitória como essa nos coloca a energia necessária para jogar uma Olimpíada. Nosso time não sabe jogar quieto. Precisamos conversar, precisamos de intensidade.

O Brasil soma triunfos contra Tunísia e Argentina até aqui. O próximo duelo é contra a Rússia, que joga sob bandeira neutra de Atletas Russos (ROC) por conta da punição pelo escândalo de doping. Os rivais, assim como o Brasil, também estão invictos: venceram os dois primeiros duelos, contra Argentina e Estados Unidos.

A seleção volta à quadra na próxima quarta-feira, às 9h45. Vai encarar os russos, líderes do grupo B.




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE