Brasil atropela o Japão, mas perde Macris lesionada no vôlei feminino

Levantadora do Brasil torceu o tornozelo no terceiro set e saiu de quadra chorando


PUBLICIDADE

GLOBO ESPORTE

Foto: FIVB
PUBLICIDADE

O vôlei feminino do Brasil não teve dificuldades para bater o Japão por 3 sets a 0, parciais de 25/16, 25/18 e 26/24, e conquistar a terceira vitória nas Olimpíadas de Tóquio. Mas a boa notícia termina aí. A levantadora Macris torceu o tornozelo direito na aterrissagem depois de um bloqueio, no terceiro set, e saiu de quadra chorando copiosamente. Veja o vídeo abaixo.


Roberta substituiu a titular e liderou a virada depois do 13 a 11 para as japonesas. Foi o set mais difícil para as brasileiras, que passaram com tranquilidade pelos dois primeiros. Fê Garay e Ana Carolina foram as maiores pontuadoras do jogo, com 13.

 

Como fica
 
O Brasil continua em segundo lugar no grupo, atrás da Sérvia. As europeias venceram as três primeiras partidas por 3 sets a 0, contra República Dominicana, Japão e Quênia. O Brasil tem três vitórias, mas dois sets perdidos, contra as dominicanas.
 

Próximo jogo
 
No sábado, às 4h25 da manhã, a adversária é a Sérvia, líder do grupo A. As sérvias venceram as três primeiras partidas por 3 sets a 0, contra República Dominicana, Japão e Quênia.

 

1º set - Brasil passeia do início ao fim
 
As brasileiras abriram no placar desde as primeiras jogadas e não olharam mais para trás. Fê Garay e Gabi foram as maiores pontuadoras do Brasil, com 5 cada. Foram 15 pontos de ataques, 6 de bloqueios e 4 de erros das japonesas. Placar de 25 a 16 em 25 minutos.
 

2º set - Início equilibrado, mas deu Brasil
 
O set começou equilibrado e o empate permaneceu até o 9 a 9. Mas, com Gabi no saque, o Brasil abriu vantagem. Virou 13 a 9, abriu 17 a 10 e manteve o ritmo até o fim. Foram 16 pontos de ataques, 5 de bloqueios, 1 de saque e 3 de erros das adversárias. Placar de 25 a 18 em 26 minutos.
 

3º set - Macris se machuca, mas o Brasil vence

O Japão liderava por 13 a 11 quando Macris aterrissou de mau jeito depois de um bloqueio e torceu o tornozelo direito. A levantadora deixou a quadra chorando e foi substituída por Roberta. O Brasil virou o jogo e teve a chance de vencer com 24 a 22, mas só fechou no 26 a 24 em 36 minutos. Foram 15 pontos de ataques brasileiros, 5 de bloqueios e 5 de erros das oponentes.




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE