Quem é Zé Trovão, o caminhoneiro por trás da paralisação das rodovias

Youtuber paulista morava em Joinville (SC) até se tornar foragido da Justiça; no sábado (4), ele afirmou que iria ao protesto em SP


PUBLICIDADE

R7.COM

Zé Trovão está foragido da Justiça INSTAGRAM/REPRODUÇÃO
PUBLICIDADE

Os dias que antecederam os protestos de 7 de setembro e a atual manifestação dos caminhoneiros pelo país projetaram a figura do youtuber paulista Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão, um dos assuntos mais comentados do Twitter brasileiro nesta quinta-feira (9).

 

Vídeos de Zé Trovão convocando bolsonaristas a irem às manifestações do Dia da Independência e depois a pararem as estradas do país começaram a circular desde o fim de agosto em grupos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. 


Zé Trovão aparece quase sempre sozinho, com uma bandeira do Brasil e em cenários que não permitem identificar sua localização, afinal está foragido desde que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes determinou sua prisão na última sexta-feira (3).

 

O inquérito que motivou a prisão investiga ameaças à democracia em atos violentos que estavam sendo organizados para 7 de setembro.

Também por determinação do STF, ele está proibido de se aproximar da Praça dos Três Poderes, em Brasília.

 

Zé Trovão se popularizou como um suposto líder dos caminhoneiros ao insuflar atos contra os ministros do STF. Segundo uma de suas postagens em redes sociais, os manifestantes só deixariam Brasília após todos os ministros do Supremo serem retirados.

Ele também defendia que os manifestantes entregassem vários pedidos de impeachment dos integrantes do tribunal.

 

O apoiador do presidente Jair Bolsonaro teria um site, o Portal Brasil Livre, que está fora do ar, mas ficou conhecido com postagens na página do Youtube Zé Trovão, a Voz das Estradas, desativado.

 

A página no Youtube prometia "notícias reais sobre estradas e política".

 

No sábado (4), em outra de suas gravações, o youtuber paulista que morava em Joinville (SC) até fugir da Justiça afirmou que estaria na manifestação do dia 7 na Avenida Paulista, em São Paulo. No vídeo, ele desafiava Alexandre de Moraes a ir buscá-lo.


"Eu vou te fazer um convite, Alexandre de Moraes. Que tal você mesmo vir à Paulista no dia 7 de setembro e me prender? Estarei lá à sua disposição."

 

Em outra postagem que começou a circular na noite de ontem, quarta-feira (8), o militante defendeu que a partir das 6h desta quinta-feira "todas as bases brasileiras fechem tudo" e não deixem passar nada além de "ambulâncias, oxigênio e remédios".

Ele afirma ainda que "nós precisamos resolver o problema do Brasil agora, nesta semana" e convoca a população a ajudar a categoria a fechar as rodovias do país.

 

Na manhã desta quinta, provavelmente após saber que Bolsonaro e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, são contrários ao fechamento das rodovias, Zé Trovão reaparece em uma gravação cobrando uma ação do presidente da República.

No vídeo, Zé Trovão diz que Bolsonaro está convocando os caminhoneiros desde o início do ano e acrescenta que é hora de o chefe do Executivo fazer "o que deve ser feito". O militante afirma que esteve nos atos de 1º e 15 de maio e em 1º de agosto.


"Presidente, pelo amor de Deus, estão atacando o nosso povo aí em Brasília, a polícia está usando da força. O senhor é a nossa última salvação, presidente, nós vamos trancar todo o Brasil porque estamos do lado do senhor, pelo amor de Deus, presidente, não deixa o povo ser oprimido. Faz o que deve ser feito porque o senhor tem o povo do seu lado."

 

Bolsonaro gravou um áudio na noite de quarta-feira pedindo para os caminhoneiros desistirem dos atos, para não prejudicarem ainda mais a economia.

 

"Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia e isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo e, em especial aí, os mais pobres. Então, dá um toque aí nos caras, se for possível, e vamos liberar, tá ok? Para a gente seguir com a normalidade", disse Bolsonaro na mensagem.

 

Após a divulgação do apelo de Bolsonaro aos caminhoneiros, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, divulgou um vídeo, às 22h30, atestando a veracidade do áudio do presidente e reforçando o pedido para liberarem as vias.




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE