Justiça mantém prisão de mãe e filho capturados em MS por execução em MT

Magistrado também ordenou que os dois presos sejam transferidos para Cuiabá com urgência


PUBLICIDADE

ANA BEATRIZ RODRIGUES / CAMPO GRANDE NEWS

Tudo que foi apreendido pela polícia na tarde desta terça-feira. (Foto: Divulgação)
PUBLICIDADE

Jocilene Barreiro da Silva, 60 anos, e Vanderley Barreiro da Silva, 31 anos, tiveram a prisão em flagrante convertida em preventiva na manhã desta quarta-feira (3) no Fórum de Campo Grande. Mãe e filho foram apontados pela polícia como os mandantes do homicídio de Gersino Rosa dos Santos, vulgo Nenê, de 43 anos.  O crime aconteceu em novembro do ano assado, no Shopping Popular de Cuiabá.

Além de Gersino, Cleyton de Oliveira De Souza Paulino, de 27, também foi morto por um disparo acidental. O autor dos disparos, Silvio Junior Peixoto, 26, foi preso há cerca de um mês, em Uberlândia (MG).

Desde a época do crime, Jocilene e Vanderley estavam foragidos, mas foram presos na tarde de ontem (2) por policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assalto e Sequestro)de Mato Grosso do Sul.

Durante o cumprimento de mandado de prisão na casa de Vanderley foram encontradas quatro armas de fogo, uma delas tinha o formato de uma caneta, além disso, os policiais encontram celulares e munições, durante o depoimento o suspeito disse que adquiriu as armas com trocas de veículos.

A decisão de manter a prisão deles foi assinada pelo juiz Jorge Tadashi Kuramoto, além disso, o magistrado também ordenou que os dois presos sejam transferidos para Cuiabá com urgência.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE