Ivinhema - MS, sexta-feira, 16 de novembro de 2018

20º min
28º min



Publicado em: 09/11/2018 às 08h59

Fabrício Boliveira fala sobre papel em 'Segundo Sol': 'O que eu sempre quis é abrir discussão'

Destaque como o Roberval na novela das 9, ator conta que acompanhou o sucesso nas redes sociais: 'Um dia é de amor, e o outro de ódio absoluto'


Gshow

Foto: João Cotta / Globo

É difícil não notar Fabrício Boliveira: o ator conta com quatro filmes no currículo só esse ano. "Já estreei dois filmes no cinema, o 'Além do Homem', do Willy Biondani, e o 'Tungstênio', do Heitor Dhalia. Tem também o 'Simonal', que estreei em Gramado, e o 'Breves Miragens', do Eryk Rocha", enumera.

 

Além disso, o ator brilhou como o Roberval em Segundo Sol. Sobre o personagem na novela das 9, ele é só alegria. "Estou muito feliz com tudo que veio, é um personagem bastante complexo, então tem um trabalho um pouquinho maior para destrinchar todo ele e abrir diálogo dentro das frentes todas que o Roberval apresenta", explica.

 

"Foi trabalhoso, mas ao mesmo tempo divertido. É o tipo de trabalho que eu gosto e que qualquer ator estaria feliz também em fazer."

 

Segundo ele, o papel de Roberval contribuiu para abrir discussões entre o público. "Ele tem ações que não são tão corretas e, ao mesmo tempo, os objetivos dele parecem ser corretos. Ele entra nesse espaço de dualidade e de não maniqueísmo, de não ser vilãozinho nem mocinho", defende.

 

"O que eu sempre quis, dentro desse personagem, é abrir discussão, abrir questões e isso eu tenho visto bastante. As pessoas estão discutindo nas redes sociais e estão sem saber como qualificar [o personagem] e isso é muito interessante. A gente está sempre julgando alguém de bom ou de mau, e a pessoa fica eternizada dentro daquela gaveta. Hoje, a gente tem um personagem que a gente não sabe o que dizer sobre ele, não sabe dizer se ele é vilão ou mocinho, e ficamos acompanhando as ações dele para, a partir daí, ter algum tipo de reflexão sobre a nossa própria vida", reflete.

 

"Acho isso tão interessante para a arte... Uma arte que não está só numa resposta, que está na discussão, está no embate, para mim essa é a grande vitória desse personagem", completa.

 

Todo esse sucesso tem sido acompanhado pelo próprio ator através das redes sociais.

 

"Eu tenho acompanhado o Twitter e me divirto muito, porque é uma coisa quase esquizofrênica. Um dia é de amor, e o outro de ódio absoluto. Eu amo isso, essa dualidade", diverte-se.

 

Não à toa, Fabrício está vivendo o melhor momento de sua carreira. "A gente trabalha tanto, rala muito, e é tão difícil a gente abdicar das coisas da nossa própria vida, então é muito bom quando a gente vê que as pessoas estão, de algum jeito, dialogando. Fico muito feliz com isso, de ver que está mexendo com as pessoas", comemora.